“No Pelourinho a vida acontece”, mulheres re.contam suas histórias em Salvador

Compartilhar
Andando pelas ruas do Pelourinho a Unidade Oblata Força Feminina caminha com mulheres reconhecendo seus espaços, seus contos e escutando suas notas e melodias. Na tarde do dia 18 de setembro, deste 2012, as mulheres puderam fazer essa caminhada com o objetivo de partilhar as vivências no ambiente particular. 
Sendo parte da programação, aonde cada mulher é convidada a contar a história do lugar em que está inserida, a caminhada começou pela Praça da Sé, relembrando o processo de restauração da Praça, bem como o tempo em que a Praça era ponto de ônibus e seguiram até o Terreiro de Jesus, permeado por danças e capoeira, tendo ao seu redor as igrejas.


Logo adiante, a cruz de São Francisco e na descida, o antigo Maciel, e as memórias de outros tempos de Bordel.  Além da recordação dos bares, cabarés, e do tempo em que o Pelourinho acolhia inúmeras mulheres e pessoas que ali residiam. Ruas, Ladeiras, Praças, casas de reggae, capoeira, Olodum e muita… muita história para contar. 


Contar a história do lugar em que estamos inseridos faz parte do processo de re.contar e contar histórias de vida daquele e daquelas que as narram. As pedras, as ladeiras, as cores, as tranças, as lutas do povo do Pelô, falam de vida, clamam memórias esquecidas, mas, ao mesmo tempo presentes e envolventes…

No Pelô mulheres se encontram, se contam e re.contam… No Pelourinho a vida acontece…

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *