Sem categoria

Projeto Força Feminina promove seminário para refletir sobre Violência contra as mulheres que estão em situação de prostituição.

Compartilhar

É preciso discutir a Violência contra a Mulher à todo momento. Não é “mi-mi-mi”… é resistência, é fortalecimento, é representação. O nosso grito precisa ser ecoado aos quatros cantos, para que a sociedade saiba que estamos em LUTA por essa causa…  JUNTAS / VIVAS.

O Projeto Força Feminina fecha o ciclo de palestras dos Encontros Cirandas Parceiras com o seminário ocorrido no Centro Cultural da Câmara de Vereadores de Salvador. 

Esse caminho não foi traçado só, tivemos apoio de diversos profissionais parceiros que acreditam nesta causa e não cansam de lutar. Foram 04 encontros durante o ano realizados na sede do projeto:
     Março – Envolvimento Feminino Com Drogas” –  Jeane Freitias De Oliveira – Profa Dra Enfermagem Ufba
       Maio –   “Violência Contra A Mulher E Vínculos Familiares” –  Cap. Pm Ana Paula Quirós “Ronda Maria Da Penha”
     Julho –   “Violência Obstetrícia –  Rita Calfa Diretora Geral Da Maternidade Tsylla Balbino”
     Setembro – “Descriminalização Do Aborto – Greice Menezes Ufba E Jamaica Santos Iperba”.

O seminário realizado no dia 29 de novembro, com o tema:Sensibilizando para o enfrentamento de situações de violência contra a mulher que exerce a prostituição” levantou reflexões importantíssima tendo na parte da manhã a colaboração da delegada titular da DEAM de Brotas Dr. Helenice Nascimento; da advogada feminista Dr. Laina Crisóstomo e coordenadora da ONG TamoJuntas e a presidenta do Geledés – Instituto da Mulher Negra Dr. Maria Sylvia. 

Pela tarde contamos com presença de Vilma Reis referência em ações de garantia e ampliação de direitos das mulheres, jovens e da população negra em geral, socióloga e ouvidora a Defensoria Pública da Bahia; Cláudia Correia – Comissão de Defesa dos Direitos das Mulheres – Câmara Municipal de Salvador / Membro do Grupo de Trabalho da Rede de Atenção a Mulheres em Situação de Violência; Nágila Brito – responsável pela Coordenadoria da Mulher, do Tribunal de Justiça da Bahia. Luta em combate ao feminicídio e dar prioridade na análise de processos que envolvam o enfretamento da violência contra a mulher e da TV Bahia na pessoa de Camila Marinho para divulgação da campanha “Sou mulher, quero respeito”. 


Agradecemos imensamente a colaboração de todos… Centro Cultural da Câmara pela parceria dos eventos que realizamos no local, dos palestrantes que com muito empenho tornaram o dia enriquecedor e de todos presentes que acreditam que é necessário ressignificar para obter resultados efetivos na luta contra a violência às mulheres. 

  











Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *