Sem categoria

Projeto Força Feminina e Pastoral da Mulher no Fórum Social Mundial 2018

Compartilhar

Os trabalhadores sociais do Projeto Força Feminina e da pastoral da Mulher, unidades Oblatasem Salvador e em Juazeiro, participaram do Fórum Social Mundial realizado em Salvador na última semana.

As atividades foram acontecendo em vários locais da cidade. A concentração maior de palestras, tendas e espaços de intervenção artística estava no campus da UFBA em Ondina.

Os trabalhadores sociais se dividiram e participaram de vários espaços de discussão.
É com satisfação que vemos a cidade de Salvador sendo tomada por pessoas interessadas em pensar um novo mundo, com mais justiça social onde todos possam viver em igualdade de gêneros, de direitos, de possibilidades… Que esses encontros sejam mais frequentes e que os frutos deles sejam mais ações sociais e políticas que diminuam as desigualdades e as injustiças que só aumentam a violência entre todos.
Em uma sociedade que não respeita a minoria, todos são vítimas!

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *