Centro de atendimento à mulher será realocado para os Barris

Compartilhar
Quinta, 11 de Abril de 2013 – 20:50

A Superintendência de Políticas para as Mulheres (SPM) prepara a mudança da sede do Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV). O serviço, que funciona atualmente no bairro da Federação, deverá ser realocado para um imóvel mais amplo, na Rua do Salete, nos Barris. De acordo com a superintendente Mônica Kalile, o novo local foi escolhido por conta da proximidade com a Delegacia do Idoso, já que o número de casos de agressão contra mulheres acima de 60 anos tem crescido. O projeto físico do novo centro, desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), amplia de três para sete salas de atendimento, além de abrigar, no mesmo local, a Ouvidoria da SPM e o Centro de Documentação da Mulher, salas para atividade técnica e brinquedoteca para os filhos das vítimas, além de acessibilidade. O planejamento também contempla a aquisição de novos equipamentos e a ampliação da equipe técnica e da segurança patrimonial. O órgão aguarda o parecer da Procuradoria Geral do Município (PGM) referente ao contrato do aluguel do novo imóvel.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *