Sem categoria

Grupo Mobilização e luta: o processo continua

Compartilhar

 Na sede da Unidade Força Feminina, a luta pela conquista da moradia continua e junto dela espaço de mobilização e luta. Este espaço é composto por mulheres que estão na luta pela sua moradia. Esta luta, no entanto, mostra que existem outras lutas: por educação, saúde, lazer, trabalho. 
Nesta dança de articulação e empoderamento as mulheres vêm se reunindo e refletindo diversos temas: discriminação, direitos das mulheres, gênero, cidadania. A cada encontro o grupo cresce com o objetivo de conquistar a moradia, mas também com o intuito de se organizar politicamente.






No encontro que ocorreu no ultimo dia 19/07 as mulheres retomaram o nome dado ao grupo, discutiram sobre seu significado e levantaram outras propostas de temas a serem refletidos no grupo. Segundo as mulheres, mobilização e luta significa:
 

“Mobilização é todas nunca perder a esperança de lutar por seus direitos de cidadãs que a sociedade só sabe discriminar, mas somos mulheres guerreiras” ou ainda: “Luta é alcançar uma coisa que você quer ter, uma casa, estar ao lado de sua família unida. É ter uma vida melhor”.


O desejo apresentado pelas mulheres é o desejo de toda cidadão. Alias é muito mais que um desejo, é um direito a ser conquistado. Por isso exige: Mobilização e luta. Neste sentido entoamos junto com uma das mulheres: “Nós temos que lutar pelos nossos direitos objetivo para que nossos filhos tenham uma vida melhor”.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *