Sem categoria

Força Feminina participa de Seminário da Campanha da Fraternidade

Compartilhar
No dia 23 de fevereiro a Unidade Força Feminina participa da organização, preparação do Seminário da Campanha da Fraternidade que tem como tema: Fraternidade e Tráfico Humano e o lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou”. O objetivo Geral da Campanha é identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denuncia-las como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse crime, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus.
O Seminário aconteceu no Colégio das Irmãs do Salete, localizado no bairro Barris trabalhando o Marco situacional (VER), Marco Iluminativo (JULGAR) e Marco Operativo (AGIR). Para o primeiro Marco houve uma mesa de debate com representantes do CEDECA, Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico, Médico que trabalha com transplantes. Na segunda mesa com o marco iluminativo a mesa foi composta pela Rede um grito pela vida, professora Gárcia da UFBA e representante da Ordem Terceira. Ao final para o Marco Operativo foi celebrada a Missa presidida por Dom Murilo.

Confiantes de que esta temática será debatida e discutida nas comunidades, projetos sociais, paróquias a Unidade Força Feminina segue fortalecendo a Rede pela vida, a Rede que grita e clama pela vida e vida digna. 

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *