Sem categoria

Força Feminina realizada encontro Cirandas Parceiras

Compartilhar
Tendo como proposta de fortalecimento das redes de atendimento socioassistencial, a sensibilização e a visibilidade para a complexa realidade das mulheres em situação de prostituição, o Projeto Força Feminina, Unidade Oblata em Salvador, realizou, no último dia 16 de julho, mais um Encontro de Cirandas Parceiras.

O evento que contou a palestra de Iana Damaceno, do Núcleo de Enfrentamento ao Trafico de Pessoas – NETP, buscou trabalhar a temática do tráfico de pessoas na perspectiva da prostituição – mais uma iniciativa das atividades do “JULHO AZUL” (mês de conscientização e enfrentamento ao tráfico de pessoas), da qual o Projeto Força Feminina e outros parceiros têm refletido junto com o NETP.

 Na oportunidade, o Encontro de Cirandas Parceiras de julho contou com a presença de parceiros, a exemplo de Paulett Furacão – liderança LGBT´s do Município de Salvador; Célio Maranhão – representante Jubileu Brasil e diversos estudantes dos cursos de Serviço Social e Pedagogia, das Faculdades do Salvador, Dom Pedro II e Vasco da Gama que participaram com intuito de conhecer e de se aprofundar no trabalho desenvolvido por estas renomadas instituições.

A atividade foi finalizada com a entrega dos certificados e a partilha de um coffee breack.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *