Sem categoria

É Tempo de Aquilombar!

Compartilhar

por uma política preta e feminista

Com o nome inspirado no poema da escritora Conceição Evaristo o Webinar É Tempo de Aquilombar: por uma política preta e feminista será realizado pelo Força Feminina – Rede Oblata Brasil nos dias 22 e 29 de Outubro. Encontro confirmado no Youtube da Rede Oblata Brasil, às 19h30min. Vamos trazer três temas centrais para a roda:

*Representatividade das mulheres negras e feministas nas eleições municipais de Salvador;
*Políticas públicas e bem viver das mulheres soteropolitanas;
*Direitos Humanos com foco na política de atenção às mulheres que exercem a prostituição na cidade de Salvador.

A ideia é discutir um projeto humanitário e real e que proponha o bem viver das mulheres negras soteropolitanas, bem como colocar em pauta o fenômeno do isolamento das mulheres negras dentro da comunidade, dentro da militância e dentro dos partidos.

No dia 22 de outubro as candidatas à eleição 2020 de Salvador são convidadas para fazer suas explanações, num debate mediado por Alessandra Gomes, coordenadora do Projeto Força Feminina – Rede Oblata em Salvador.

Conheça um pouquinho das nossas super convidadas:

*Sâmara Azevedo é Professora da Rede Pública, Educadora Social, mãe, feminista, militante antirracista, antimachista e antigordofobia. É pesquisadora de relações étnicas e africanas, membra do Fórum Marielles Salvador e Fundadora do Coletivo Cacheadas e Crespas de Salvador. Ela acredita na estética afirmativa, onde o cabelo e o corpo são manifestações políticas. Está candidata a vereança em Salvador.

*Márcia Ministra é Cientista Social– Ativista de movimentos sociais – professora educadora social e ex-empregada doméstica. Articuladora e formadora do Odara Instituto da Mulher Negra (Projeto: minha mãe não dorme enquanto eu não chegar). Militante do Movimento de mulheres negras e do Movimento Negro. Está candidata a vereadora de Salvador.

*Jandira Mawusí é pedagoga pela UNEB, integra a Rede de Mulheres de Terreiro, e é uma das representantes da Caminhada Contra o Ódio e o Racismo Religioso. Idealizadora do Coletivo Merê. Ela também integra a linha de pesquisa Lesbianidades, Interseccionalidades e Feminismos – LIF/NUCUS/UFBA e é ativista das causas raciais e de gênero LGBTQIA+. Está candidata a vereadora de Salvador.

*Pretas por Salvador é composta por Laina Crisóstomo, Cleide Coutinho e Gleide Davis, três mulheres pretas, mães, LGBT’s, de religiões diversas, gordas, jovens e desejam ocupar a Câmara Municipal de Salvador de forma coletiva, plural e diversa como a cara dessa cidade.

No dia 29 de outubro as candidatas à eleição 2020 de Salvador são convidadas para fazer suas explanações, num debate mediado por Simone Alves, Assistente Social do Projeto Força Feminina – Rede Oblata em Salvador.

Conheça um pouquinho das nossas super convidadas:

*Danielle Ferreira, nascida no bairro de Beirú, é filha de um carpinteiro e uma empregada doméstica. Estudou no Colégio Central e na Universidade Federal da Bahia, primeira da sua família. Começou sua trajetória política no Movimento Estudantil, como diretora do DCE/UFBA e vice presidente estadual de um partido político hoje é dirigente municipal deste partido. Feminista e defende uma sociedade sem racismo e sem LGBTfobia.

*Naira Gomes é mulher negra, feminista negra, pesquisadora e cofundadora da Marcha do Empoderamento Crespo, coletivo que já reuniu mais de30 mil pessoas em marcha pelo centro de Salvador. É parte do Fórum Marielles e das Mahins – reorganização de mulheres negras. Foi assessora parlamentar e é candidata a vereadora de Salvador. Já foi considerada uma das mulheres mais inspiradoras do Brasil pela ONG Think Olga e reconhecida por diversas instituições.

*Dona Mira é coordenadora do MSTB; coordenou a Ocupação de Escada; guardiã da Bacia do Cobre; estudante do curso de Pedagogia e Educadora Popular; militante em defesa dos Direitos Humanos e do Movimento Negro; feminista do Coletivo Mulheres Guerreiras Sem Teto; mãe vitima do terrorismo do Estado; militante da Teologia da Libertação; Pastoral da Criança da Igreja Católica; compôs a equipe de realização da pesquisa do Atlas Direito de Morar.


*Selma Sena é moradora nascida e criada no Subúrbio Ferroviário. Mulher negra, bióloga oriunda da Steve Biko. Educadora Social; Mobilizadora nas Escolas Comunitárias. Gestora do Centro Comunitário São José Operário. Integrou equipe de coordenação da ASA-PAMEN por vários anos; Atua na Pastoral Afro; CEBS, CEBI e do Apostolado da Oração da Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Periperi. Está candidata no pleito de 2020.

As discussões trarão como temas transversais:
Saúde; Trabalho, emprego e renda; Educação; Habitação; Direito à cidade.

Nestes encontros trataremos sobre política, falaremos também sobre exercício da nossa cidadania e da importância do voto consciente para luta por justiça social e equidade de gênero.

É tempo de aquilombar! A liberdade é uma luta constate!

Esperemos vocês para contribuírem neste debate.

Link do Canal YouTube Rede Oblata Brasil:

Compartilhe, participe, comente! 

Comunicação Força Feminina

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *