Sem categoria

Dia Nacional da Imunização

Compartilhar

Manifesto para Dia Nacional de Imunização

Chegamos no dia 09 de junho, Dia Nacional da Imunização, com registro de 470 mil pessoas mortas por causa da covid-19. Somente 22 milhões de brasileiros e brasileiras foram totalmente vacinados/vacinadas até o momento. O que equivale a 10% da população.  

Nós defendemos o Sistema Único de Saúde como força motora, gratuita e equânime para o processo de vacinação e enfrentamento da crise sanitária no nosso país.

Nós defendemos a priorização dos públicos vulnerabilizados/as. Nós responsabilizamos o Estado brasileiro pela desorganização e ingerência diante do caos sanitário que a população brasileira vivência neste momento. 

Os governos precisam entender a importância da vacina como mecanismo de enfrentamento a pandemia.

Os governos e a sociedade precisam ampliar a compreensão de que as desigualdades regionais, sociais, raciais e de gênero tem posicionado certa parcela da população num lugar de maior vulnerabilidade. Precisam compreender que este lugar de vulnerabilidade dificulta o acesso a saúde gratuita de qualidade.  E precisam compreender também, que estas desigualdades precisam ser levadas em consideração na priorização do acesso as vacinas.

Sem deixar ninguém para trás! O Força Feminina, Rede Oblata, junto a mulheres que exercem a prostituição, convoca toda sociedade brasileira a mobilização e luta para que todas as pessoas tenham acesso a vacinação em massa contra covid-19.

A vida tem pressa!

Iracema Oliveira
Comunicação Força Feminina – Rede Oblata

Articulação Comunicação e Advocacy no contexto da Pandemia da Covid-19

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Projeto Força Feminina – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais.   

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *